Blog

ROI em T&D: Como analisar resultados pode fazer a sua área crescer

Você já deve ter se deparado com situações em que a diretoria da sua empresa não percebe a importância dos treinamentos, certo? E você sabe por que isso acontece? Porque, na área de T&D, os resultados não são tão tangíveis. E, se você não medi-los, é difícil provar o impacto e o valor das capacitações.

Por isso, é importante que você dedique tempo para analisar resultados — um dos passos essenciais para gerenciar a área de T&D, de acordo com a metodologia T&D na Prática. Ao quantificar seus resultados, você terá embasamento para defender seu setor frente à gerência, o que pode impactar o seu orçamento e o crescimento da sua área!

Mas como fazer essa análise de resultados?

Existem vários modos de analisar os resultados de um treinamento. Em T&D, um método bem conhecido é o modelo de avaliação de Kirkpatrick, que foi criado na década de 50 pelo professor Donald Kirkpatrick, da Universidade de Wisconsin, nos EUA. Esse modelo divide a análise em quatro etapas.

A primeira delas é a fase de reação, que consiste em verificar qual é o nível de satisfação dos alunos. Para isso, pode ser aplicado um questionário após o treinamento. Já o segundo nível analisa o aprendizado do colaborador. Nessa etapa, é possível realizar testes ou provas.

Na terceira fase, é avaliado se o funcionário mudou o comportamento depois do treinamento. Essa análise pode ser feita com base em pesquisas e percepções dos gestores e pares.

Embora essas avaliações ajudem a medir se o treinamento atingiu o objetivo esperado, elas são um pouco subjetivas. Assim, podem não ajudar tanto na hora de mostrar os resultados para a gerência. Nesse caso, temos que entrar no quarto nível de avaliação: o impacto no negócio.

Quando falamos em impacto no negócio, discutimos sobre ROI, uma sigla que vamos mencionar bastante neste artigo. Mas antes de abordarmos o quarto nível, veja este quadro que simplifica as quatro fases do modelo de Kirkpatrick:

Análise de impacto na empresa

A partir daqui, vamos abordar o quarto nível: análise de impacto no negócio. Para complementar os dados que você já tem, você pode medir o ROI (Retorno sobre Investimento). Essa métrica mostra quanto a empresa ganhou com uma determinada ação. Isso significa que você pode quantificar, de maneira aproximada, o que a companhia lucrou com a execução de um treinamento.

O ROI é o tipo de resultado que tem mais efeito no momento de requisitar orçamento para sua área, já que mostra o impacto real que as ações de T&D tiveram na empresa. Também pode impulsionar seu setor, fazendo com que ele desenvolva mais maturidade para lidar com números.

Criando uma área de T&D mais analítica

A longo prazo, medir o ROI resulta em uma área de T&D mais analítica e estratégica. Isso porque o setor começa a ganhar experiência em analisar custos e resultados, passando a perceber quais capacitações merecem mais investimento.

Isso é uma mudança de cultura da área, que, em certo grau, pode atingir o restante da empresa. A medida que o setor de Treinamento & Desenvolvimento cria mais autonomia e exige mais dados das áreas demandantes de capacitações, a relação dos colaboradores com os treinamentos muda. As capacitações passam a ser vistas como práticas com objetivos claros, portanto, ações estratégicas para o desenvolvimento da empresa.

Uma ferramenta para tomada de decisão

Resumidamente, o ROI é uma ferramenta que contribui para tomar decisões mais assertivas. Por exemplo, digamos que você realizou três treinamentos ao longo do último semestre. Usando o ROI, você consegue ver qual desses três gerou resultados financeiros melhores para a empresa.

Sabendo desse dado, pode-se decidir qual treinamento receberá mais investimento e atenção. Ou seja, você consegue ter critérios mais objetivos para priorizar suas demandas de acordo com o impacto no negócio.

Também é possível avaliar se alguma das ações de treinamento está abaixo da meta que você estipulou quando estava na etapa de planejamento. Assim, se o seu objetivo era aumentar as vendas em 20% e, até agora, houve um crescimento de 10%, você pode tomar medidas para melhorar esse resultado. Isso pode ser feito com ações de reforço, por exemplo, um vídeo ou um rapid learning.

 

Como calcular o ROI

Não precisa se assustar com a palavra “calcular”. Medir o ROI não é um bicho de sete cabeças. Abaixo, vamos ensinar a você um passo a passo de como fazer o cálculo e trazer mais resultados para sua empresa.  

O ROI usa duas variáveis — custo e receita — e segue a seguinte fórmula.

Receita: é o valor que a ação gerou.
Custo: é o valor que a ação custou.

Em custo, você deve considerar todo o tipo de gasto que teve para planejar, criar e executar o treinamento. Isso inclui, por exemplo, despesas com terceirização da produção do treinamento online e custo da plataforma LMS.

Medir a receita é um pouco mais complexo, já que é difícil entender até que ponto o treinamento influenciou na melhora dos resultados da empresa. Para descobrir esse número, você pode aplicar um método estatístico conhecido como cálculo de influência.

Seguindo esse método, o primeiro passo é comparar o cenário da companhia antes e depois do treinamento. Por exemplo, em uma determinada empresa, eram vendidos 10 mil produtos por dia e, após a capacitação, esse número aumentou 30%.

Só que, durante esse período de melhora, houve outras ações que influenciaram o crescimento das vendas, como mudanças no processo e contratações. Então, como saber qual parte desses 30% se deve ao treinamento?

Baseando-se nas percepções de colaboradores!

Questione qual é o grau de influência que a capacitação teve na melhora de determinada ação. Por exemplo, digamos que os colaboradores apontaram que 50% do aumento de vendas ocorreu por causa do treinamento.

E, para saber se esse número é confiável, pergunte qual é o nível de confiança que os funcionários têm nessa percepção. Nesse caso, eles apontaram que o grau de confiança é 80%.

Multiplicando esses dois valores (50% e 80%), temos um coeficiente, que é 40%. Assim, podemos dizer que o treinamento foi responsável por 40% dos 30%. Isto é, a capacitação resultou em um aumento de 12% das vendas. Aí, basta colocar, na fórmula, os valores de receita e gastos que você calculou.

Vamos recapitular?

Conclusão

Medir o ROI é muito importante para: conseguir investimentos para a área de T&D; criar um setor mais analítico e voltado para resultados; e desenvolver uma cultura de valorização de treinamentos.

No entanto, precisamos levar em conta que esse cálculo gera um resultado aproximado, já que influência e confiança são índices subjetivos. Por isso, é importante analisar os resultados da área de T&D como um todo, e não isoladamente. Tanto o ROI quanto as avaliações de reação, aprendizado e comportamento são métricas de sucesso que devem ser consideradas na etapa de análise.

Se você quer aprender mais sobre ROI, pode acessar o nosso webinar. Nele, explicamos com mais detalhes os quatro níveis de avaliação de Kirkpatrick e como calcular o Retorno sobre Investimento.

*Conteúdo construído em parceria com Diogo Réus, ex diretor comercial e atual P&D da Mobiliza.

Sobre o autor

Tamy Dassoler

Apaixonada por gatos e por livros. Adora organizar coisas e assistir séries. É formada em Jornalismo e trabalha como revisora de textos na Mobiliza.

Se você gostou deste, pode gostar também...

Qual é o papel do analista de treinamento?
LMS é uma das opções. Entenda mais sobre plataformas de distribuição e gestão de treinamentos online
Levantamento de Necessidades de Treinamento – O que é LNT e como aplicar na sua empresa?

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!