Blog

Quando preciso de uma plataforma LMS?

Um dos primeiros desafios encontrado por organizações que consideram trabalhar com treinamento e desenvolvimento online é o de entender o que é uma plataforma LMS e se a sua empresa precisa de uma. Neste texto vamos tratar dos cenários de educação corporativa em que um LMS é necessário, e das diferenças que usar, ou não, uma ferramenta dessas, vai criar na sua estratégia de capacitação online. 

Como o nosso foco não inclui educação acadêmica, sugerimos que você dê uma olhada no blog da Adapt. Lá você pode saber mais sobre a realidade desse segmento. 

Vamos começar?

Primeiro é importante você responder uma pergunta:

Existe hoje, na sua empresa, a necessidade de gerenciar e controlar a experiência do aluno nos treinamentos ou você precisa apenas distribuir os seus conteúdos em uma plataforma? 

Nosso líder de produto, Diogo Reus, indica esse como um fator chave para definir quando uma plataforma LMS é indispensável. Já que o foco dela é o gerenciamento e não apenas a distribuição. Vamos desenhar alguns cenários gerais para tornar essa ideia mais palpável, e te ajudar a identificar a situação da sua empresa, com a ajuda do nosso consultor educacional e co-fundador da Mobiliza, Kornelius Eidam. Ele aponta três cenários básicos em que uma empresa precisa de uma plataforma LMS. 

Que tal dar uma olhada neles?

Cenário 1 – Performance dos colaboradores

O primeiro cenário é quando a área de Treinamento e Desenvolvimento da sua organização precisa mapear o conhecimento que está sendo entregue para os colaboradores. Um exemplo claro desse cenário é se a sua empresa promove treinamentos sobre normas de segurança. Podem ser cursos sobre equipamentos de proteção ou sobre a prevenção de acidentes. Como trata-se de segurança, é claro que a companhia precisa se certificar de que o profissional finalizou o conteúdo, certo?       

Outros exemplos comuns do cenário 1 são quando a sua empresa tem um programa de capacitação de líderes, ou um treinamento para seus vendedores sobre o processo de vendas. Todos eles exigem que exista uma confirmação da realização do curso. Afinal, líderes que não conheçam as diretrizes contidas na capacitação, não terão como tomar decisões seguindo essas mesmas diretrizes.   

Nas situações acima, os profissionais têm a obrigação de realizar os treinamentos. Porém esse cenário de precisar mapear o conhecimento pode existir também quando os cursos não são obrigatóriosPensa assim, quando uma empresa decide investir em capacitação, ela espera obter um retorno em performance do colaborador. Por conta disso, pode ser que sua área de T&D tenha definido como prioridade entender quais os cursos que mais estão melhorando o desempenho da equipe. Nesse caso, o gerenciamento se torna essencial por uma questão estratégica. Isso porque só com dados e registros você vai conseguir entender quais são esses cursos.

Cenário 2 – Capacitação de representantes

O segundo cenário que temos desenhado é o de formação de parceiros. Se a sua companhia trabalha com outras empresas que a representam de alguma forma, com certeza precisam capacitar esses canais para que eles conheçam bem a cultura e os produtos de vocêsNesse caso pode ser que a sua organização conte com um programa online de certificação de parceiros. E é claro que vocês precisariam controlar e gerenciar essa capacitação.

Esse “Cenário 2” pode ser visto tanto em empresas que trabalhem com um modelo mais tradicional, como um sistema de afiliados, quanto em empresas que adotem um sistema mais moderno, como o de canais parceiros. Se sua organização treina seus representantes pela internet, vai existir necessidade de registrar esses treinamentos para garantir o alinhamento exigido. Esse é um controle que tem de ser realizado de forma contínua. Afinal, todos nós sabemos que as ações de um representante desalinhado podem ter impactos sérios na marca da empresa.      

Cenário 3 – Empoderamento de clientes

O terceiro cenário é quando a sua organização sente a necessidade de capacitar os próprios clientes. Isso acontece quando o produto oferecido tem maior complexidade. Se os compradores tiverem dificuldades para entender como usar seu produto, pode ser que eles não vejam valor no que sua empresa entrega, ou sobrecarreguem seu serviço de suporte. Quando isso acontece, sua empresa pode criar uma Jornada de Aprendizagem. Essa é uma ferramenta muito legal usada aqui na Mobiliza para moldar a experiência do treinando de uma forma que ajude a reter o conteúdo e, assim, evitar o esquecimento.    

A necessidade de controle que justifica o investimento em um LMS surge por essa complexidade do que precisa ser ensinado. Realmente empoderar o cliente a usar todos os recursos do seu produto pode trazer várias exigências. O treinamento pode ter de ser dividido em módulos. Conteúdos de reforço podem ter de ser criados. Além de outras ações do tipo, que exigem gerenciamento. 

São esses dados que vão te permitir, por exemplo, mapear quais os grupos de clientes que têm mais dificuldade, qual a relação entre o nível de conhecimento dos clientes e a demanda que eles geram para seu time de suporte, gerando inteligência para a sua área de treinamento.

Então, quando NÃO PRECISO  de uma plataforma LMS?   

Todos os três cenários acima têm em comum essa exigência de dados para o controle da experiência do usuário. Assim já fica mais fácil imaginar os contextos em que o LMS não é necessário, certo?! 

São aqueles que exigem apenas uma solução para distribuição dos treinamentos, o que pode ser resolvido de forma mais simples. Nesses casos você tem outros caminhos. Pode simplesmente disparar um e-mail com o curso em anexo. Pode colocar os cursos na intranet. Pode, até mesmo, colocar um link para o curso em um grupo de Whatsapp.

Um exemplo comum é quando, apesar de seus clientes terem dúvidas sobre o uso do produto, essas dúvidas são mais simples. Por conta disso elas podem ser resolvidas com conteúdos pontuais. Imagine que uma empresa de eletrônicos quer ensinar os clientes sobre as funcionalidades de seus equipamentos. A organização acredita que isso vai diminuir o volume de chamadas que entram no SAC. Se o interesse é apenas em permitir que os clientes se informem melhor para diminuir situações de mau uso, as opções de registro e controle de um LMS tem menos relevância.

É importante entender o seu momento

Observando o contexto com a experiência de mercado da Mobiliza, percebemos que em grande parte dos casos, a diferença entre uma área de T&D que tem uma demanda por controle e uma que não tem, é o momento. Isso porque qualquer tipo de treinamento online é capaz de gerar inteligência

A partir do momento que uma área de T&D se torna mais estruturada e madura, é natural que comece a sentir necessidade dessas informações. É um momento em que as demandas mais primárias, de produzir e entregar os treinamentos, já estão atendidas. A partir daí os profissionais de treinamento mudam o foco para obter informações úteis para aperfeiçoar as ações, como você pode ver no quarto passo do Método T&D na Prática.

Por conta dessa alteração, uma empresa que antes precisava apenas distribuir o conteúdo, pode depois começar a sentir falta da capacidade de gerenciamento de uma plataforma LMS. Não quer dizer que a decisão de não adquirir um LMS no primeiro momento foi um erro. Quer dizer apenas que o momento mudou, e com ele as necessidades da empresa. Muitas vezes é só um caso de “aprender a andar antes de correr”.           

É importante identificar o cenário em que os treinamentos online da sua empresa se enquadram, não apenas para entender se você precisa contratar uma plataforma LMS, mas caso precise, qual delas contratar. Isso porque diferentes plataformas podem registrar diferentes indicadores. Você pode saber mais sobre o que considerar na hora de escolher, com esse artigo do nosso CEO, João Romão.

Legal, mas o que preciso lembrar para decidir sobre o LMS?

Em resumo, essas são as informações que eu quero que você guarde com carinho: 

  1. Existem contextos em que adotar uma plataforma LMS é essencial para a sua estratégia de capacitação online. 
  2. Esses contextos tem a ver com a presença de uma necessidade na sua empresa de gerir a experiência do usuário.
  3. É comum que essa necessidade tenha a ver com o momento da sua área de treinamento e desenvolvimento.
  4. Mesmo quando a demanda pelo LMS já foi definida, é preciso identificar qual LMS controla os indicadores que você precisa.
  5. Se não existe a demanda por gestão e controle, uma ferramenta que atenda suas necessidades de distribuição é o suficiente.
  6. O fato de não existir demanda para um LMS neste momento, não significa que ela não vá existir no futuro.    

E aí, ficou mais claro para você quando faz sentido adquirir uma plataforma LMS? Para ter mais informações que vão te ajudar a estruturar a educação corporativa online da sua organização, acesse nosso guia Como implementar EaD na sua empresa.    

Sobre o autor

Vinícius Bressan

Graduado em Jornalismo e produtor de conteúdo da Mobiliza. Acredita muito no potencial transformador da comunicação e da educação, é apaixonado por games e não tem certeza do que deveria colocar em uma assinatura de blog.

Se você gostou deste, pode gostar também...

LMS é uma das opções. Entenda mais sobre plataformas de distribuição e gestão de treinamentos online
Qual é a diferença entre ferramenta de autoria e plataforma LMS?
O que é SCORM: entenda a tecnologia e para onde ela avança

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!